terça-feira, 9 de março de 2010

Devaneios da madrugada

Eram noites mal dormidas, meio ao frio instigante da madrugada;O computador ligado, a luz vermelha piscando, aquele som irritante do anti-vírus alarmado;Não conseguira dormir, eram quase quatro da manhã, e lá estava ele, com canecas de café a lavar, os problemas windowsanos a resolver, e nada.
Maldito computador, maldita noite, maldita hora em que entrara no bate-papo, sala onze, São Paulo.
Pegara mais uma caneca de café;Armara o trambolho daquela máquina de escrever e continuara a tecer seus devaneios, ouvindo o som do anti-vírus e os pássaros ao sol nascer.

5 comentários:

  1. traduzindo.. INSONIA !! HEHE

    um bjO !

    ResponderExcluir
  2. Ô madrugadas... Adoro...
    Mto bom seus contos cara!
    Volto mais vezes!
    Abração!
    Jr

    ResponderExcluir
  3. Meio abstrato misturado com indignaçao.. gostei !

    ResponderExcluir
  4. muito legal! parabéns

    www.despauterio.com

    ResponderExcluir
  5. Quer saber, eu tenho uma vida parecida, mas não costumam ser as salas de bate papo que prendem minha atenção, mas isso me leva a pensar, oque será que você encontrou sela maldita sala de bate papo nº 11 ? pra te fazer passar a noite em claro? que um conselho troque o café por um suquinho de maracujá, talvez você durma um pouco melhor sem tooooooda essa cafeina aumentando os níveis de adrenalina dentro de você. rs
    Adorei, volte sempre!

    ResponderExcluir